Dia 9.

Possivelmente um dos parafusos colocados no meu queixo está em contato com a raiz de um dos meus incisivos. Eu sinto dor como se fosse uma cárie, mas não é constante. Espero não precisar remover este parafuso agora.

Tenho me alimentado muito melhor. Comi lasanha, macarrão, frango desfiado, carne desfiada com pure de mandioca. O tempo gasto nas alimentações é muito grande, mas vale a pena.

O desconforto está indo embora, e a sensibilidade está retornando. Logo estarei 100%.

Fotos com a Marina, grande amiga:

Anúncios

Dia 8.

Novas sensações. O rosto dói perto do queixo, mas eu não sei descrever. É embaixo do lábio inferior, mais do lado direto que do esquerdo. É uma dor variável que vem de dentro, e dá coceira na pele, mas não adianta coçar. Parece um dente com cárie, mas a dor é mais leve e não tão aguda. Não to tomando analgésicos, então é natural sentir um pouco de dor, mas será que ela representa um problema? Pode ser uma infecção em um dos parafusos do meu queixo.

Como será que se sentia o frankenstein?

Minha pronuncia melhorou significativamente. Meu sorriso já parece um sorriso e não dói quando sorrio. Dói quando abro demais a boca, quando bocejo, quando espirro. E dói à noite, antes de dormir. Mas as noites estão melhores.

Mais foto:

Dia 7.

Tudo está melhorando. Agora eu estou comendo um pouco melhor, sentindo menos dor, a pronuncia das palavras melhorou muito.

Eu sinto enformigamentos breves nos queixos e nos lábios. A cada dia a paraestesia cede um pouco, e em breve eu terei recuperado totalmente o movimento e a sensibilidade no meu rosto.

Ainda é um saco comer as coisas trituradas e tomar antibióticos, mas isso logo se resolve.

Mais uma foto:

Dia 6.

A visita de ontem ao Dr. Marcos foi tranquila, exceto pela demora no atendimento. Ele nunca cumpriu o horário na verdade.

Eu estou indo muito bem, segundo a análise dele, e a cada dia o resultado se mostra melhor. Acho que obtivemos sucesso nesse procedimento.

Não usarei mais gelo. Agora o que vai me curar mais rápido são compressas quentes e úmidas. O inchaço está diminuindo, mas os hematomas estão mais presentes. Estou amarelado no queixo, no pescoço, e no peito, como mostra a foto.

A alimentação está melhorando a cada dia, o que é um alívio. Em breve vou comer um chesse, uma pizza, e um churrasco. Não vejo a hora….

A dor ainda está alí, e o desconforto não dá moleza, mas é cada vez mais fácil. A capacidade de adaptação dos homens me impressiona muito. Eu to diminuindo as doses de analgésicos. Vou passar o dia sem tomar nada, e se precisar eu me entorpeço à noite.

Aí vai uma foto com cara de quem comeu sorvete:

Dia 5.

A noite foi igualmente cansativa, mas eu dormi um pouco mais durante a manhã. No meio da madrugada eu tomei um analgésico e apliquei gelo. Talvez não precise mais usar gelo, mas ele me dá conforto.

A alimentação tá melhorando,  o inchaço está diminuindo, e assim eu estou ficando um pouco melhor a cada dia. Daqui a pouco vou visitar o cara que me operou. É provável que ele prenda os meus dentes com borrachinhas , o que me fará ainda mais calado, mas quem sabe resolva a dor na articulação.

Dia 4

Eu estou escrevendo durante o quarto dia após a cirugia. Posso editar os textos conforme desejar, então talvez mais tarde eu mude isso.

A noite foi péssima. Eu adiantei um pouco o horário do analgésico porque a dor tava incomodando mais do que costumava. Mesmo com o remédio para desentupir o nariz eu respirei mal. O desconforto é muito ruim.

Dormi um pouco de lado. Isso poderia ter me prejudicado de alguma maneira, mas eu não tava pensando quando decidi virar. Não prejudicou, mas não ajudou tanto.

O inchaço diminuiu, mas os hematomas apareceram. É comum todo o líquido e todo o sangue que ficou acumulado nos tecidos e entre eles cairem até o pescoço. Se fosse um soco acima do olho, ficaria roxo embaixo, certo?
Meu pescoço tá amarelo. Parece que parte do meu queixo também. Apesar de estar menos gordo, eu ainda estou desconfortável.

Eu almocei um pure de babatas com frango batido no liquidificador. Foi ótimo. Aos poucos vou me alimentando melhor, ainda bem. Não aguento mais aquelas sopas cremosas. E sorvete tá ficando enjoativo já. Falar em enjoo, eu não vomitei, nem perto disso. Muita gente reclamou dessa parte, e eu não sofri com isso. Que sorte né?

Eu deveria estar muito mal humorado, mas não estou. Ótimo, que isso não mude. Mas eu sei que vai mudar…

Dia 3.

Mais uma noite mal dormida. Não tinha como ser diferente, mas dessa vez eu usei um vasoconstritor no meu nariz pra poder respirar melhor. Funcionou por meia noite, mas eu ainda tive dor e dosconforto. Como na outra noite, acordei com muita sede várias vezes. Fui ao banheiro várias vezes também. Tenho urinado a cada hora, inclusive durante a noite. A péssima posição na cama – deitado de barriga pra cima com a cabeça mergulhada em uma pilha de travesseiros – garantiu a minha dor de cabeça durante o dia.

Eu fiquei assistindo TV, lendo, matando o tempo o dia todo. No final da tarde fui na casa da minha avó.

A alimentação melhorou um pouco. Eu já to comendo coisas pastosas.

Talvez eu tenha falado demais, ou talvez tenha mexido demais a boca, mas a articulação esquerda da minha mandíbula não está firme, e dói. Ela tinha um desgaste, e agora precisa de atenção.

O gelo ainda é o meu melhor amigo. Durante as noites e durante o dia eu me sinto muito bem quando tento me congelar um pouco.

A foto a seguir mostra como eu estou melhor.