What A Wonderful World

(texto escrito em 2007)

Dois irmãos vêm ao mundo em universos diferentes, a anos-luz de distância, separados por 2 anos. Eles só se conheceram porque um deles queria montar um telescópio, coisa que o outro já havia começado, mas não terminou.

O Primeiro morou com a família até se mudar para a capital, onde mora o Segundo. Seguiu um de seu sonhos, um dos mesmos que ignorava dividir com o irmão distante. A paixão pelas histórias de segunda guerra, por aviões, pela superação humana perante qualquer obstáculo, e pela ciência, faz deles quase iguais.

O Segundo sempre enfrenta tudo com a cabeça erguida e tem a pose de um nobre, e chama atenção por isso. Tem o olhar profundo, bonito, e a expressão da força de um mouro, e poucas coisas o fazem recuar. É impaciente com a mediocridade, mas faz cena de preguiça sempre que pode.

Quando era criança, o Primeiro fez amizade com quem pôde, e teve precocemente um bocado de responsabilidade. A maturidade também veio precoce, e antes mesmo de saber o que era liderança, já era seguido. Conheceu uma menina de olhos grandes, castanhos, com cílios grandes e curvos. A primeira paixão.

As mulheres do seu irmão distante nunca o fizeram sentir que o mundo estava parado, eternizando os pequenos momentos, esperando eles se conformarem a se despedir. Tardou a conhecer o amor, mas não foi por falta de vontade. Um sonho adolescente o fez se tornar um grande ciclista, e a paixão aconteceu.

O Primeiro andou de bicicleta quando criança, e sempre quis voltar a andar. Ainda era criança quando percebeu talento pra música, e investiu nisso. Já na capital, depois de desistir de ser piloto ou de defender a Pátria, quis chegar mais perto das estrelas, mas não alçou vôo. Embora o estímulo fosse precário, o seu irmão agora mais próximo, depois de desistir de sonhos parecidos, tentou decolar, e começou o projeto de um telescópio. Começou, mas cedeu logo. Quando os dois se conheceram, fizeram logo amizade, e conversaram um bocado. Dividiram experiências como todos fazem, e perceberam que duas pessoas podem ter personalidades quase iguais. Eles brigaram quando ficaram mais a vontade, mas quais são os irmãos que não brigam? E fizeram as pazes, e brigaram juntos, e choraram juntos quando olhavam a lua e falavam da vida. Depois de horas pedalando, a satisfação de um abraço revigora a alma.

Eles pedalaram juntos, até que a bicicleta do Primeiro foi roubada. Um caos, mas tudo ficou bem. Ser um grande físico é o sonho dele, e o seu irmão não sabe se quer ser um grande físico, um grande ciclista, ou um grande heroi num campo de batalha. Quando se tem potencial pra ser qualquer coisa na vida, a dúvida consome o bom humor e razão. Os dois têm suas diferenças e às vezes discutem, trocam críticas, culpam um ao outro, sem saber que a culpa é da identidade nas suas convicções.

Ontem eles se encontraram, com sorrisos sinceros, e apertaram as mãos. Logo trocaram o aperto de mãos por um abraço, cantando

“I see friends shaking hands, saying, “how do you do?”

they’re really saying, “I love you”.

Exposição

Que tal mostrar algumas curvas lindas, bem desenhadas, capturadas em fotografias de alto nível? A idéia é muito estimulante e deve render bons suspiros. Um casal com boa sincronia, muita cumplicidade e muito amor consegue transformar uma cena íntima numa obra de arte. Essa a minha sugestão pro mês. Fotografe-se.

Hiato

A cegueira toma conta e tudo é negro e distorcido.

Na nossa tela tem uma pintura ilusória, cheia de razão, mas é razão o que nos falta.

Então, no meio do hiato que separa duas vogais fortes, impera o vazio.

Ainda bem que a minha oração é coordenada. E é breve.

Ela não termina com ponto final, e sim com ponto e vírgula.

Porque um novo período é inserido, com um único verbo:

Vencer.

Minha Formatura, Meu Discurso.

Douradas palavras do orador, ora sisudo, ora adorando. Discurso adorado é pretensão. De ouro, nem pensar. Mas ouvido, isso sim. E aplaudido no início, no meio e no fim. E se estes justificam aqueles, os colegas que perdoem a arrogância, mas foi a minha formatura e o meu discurso. Não poderia ser diferente. E eu tenho orgulho.

http://www.vimeo.com/11757493